16 December, 2017, Saturday
Como Se Não Houvesse Amanhã

Como Se Não Houvesse Amanhã

0.0/5 pontuação (0 votos)

A década de 1980, no Brasil, constituiu-se num cenário que envolveu uma abertura açambarcadora de uma realidade que não se limitou tão somente ao âmbito político, mas proporcionou um conjunto de realidades capazes de redinamizar, inclusive, a produção historiográfica. Nesse sentido, um novo campo de possibilidades emergiu, redimensionando a produção historiográfica ao revelar uma gama de objetos, com novas abordagens, até então negligenciados pela pesquisa acadêmica. A obra de Renato Russo se insere nesse contexto.

A revisão pela qual os paradigmas passaram, a partir, sobretudo da segunda metade do século XX, estampada no Brasil com a convergência da abertura política a qual o Brasil experimentava com a derrocada do regime militar, possibilitou a emergência de uma década explosiva no âmbito musical, sendo Renato Russo um dos seus expoentes.
Trabalhar com letras de música, como uma abertura para elucidar os caminhos para a construção da identidade cultural, é reforçar a emergência dessa redefinição metodológica e perceber objetos competentes em ressaltar novas perspectivas perante a pesquisa a qual se destina.

Partindo dessa premissa, o estudo acerca do conceito identidade alcança a dimensão de perceber nas composições de Renato Russo indícios de uma constituição identitária ainda não experimentada, multilateralizando sujeitos pela fragmentação dos mesmos.

Especificações

  • Autoria: Cristiano Vinicius De Oliveira Gomes
  • Categorias: Livros
  • Ano: 2014
  • Editora: Appris Editora
  • ISBN-10: 9788581923734
  • Páginas: 263