18 October, 2017, Wednesday
Shows

Shows 11

Publicado em Shows Escrito por Novembro 12 2015 0

Um grande encontro apoteótico, claro hiper rocker, aconteceu neste último dia 8 no palácio do rock: o CCSP e suas diabruras- carotidianas – de décadas.

Publicado em Shows Escrito por Junho 16 2015 0

O primeiro show do Camisa de Vênus que tive a oportunidade de assistir foi por volta de 1993, com meu primo Luciano, no ginásio da Portuguesa. Quando soube do show do retorno para a comemoração dos 35 anos da banda, não tive dúvida, não poderia perder e, novamente eu e meus primos, que além do já citado Luciano também esteve presente o Toninho, fomos para assistir este show em família.

Publicado em Shows Escrito por Março 30 2015 0

Mais um daqueles shows em que você questiona se quem puxa os seus não degenera não, ou quem assiste a um mantra desses sai do SESC Vila Mariana com influências criativas renovadas sim, e muito degeneradas também, pra realmente repensar esse processo de linguagens semânticas, onde poesia concreta, quiça Augusto e Haroldo e o amigo Leminsk, música e filosofia se reverberam num estado quase letal de renovação de espírito e transposição de sentidos, sejam elas metafísicas, ou transcendentais.

Publicado em Shows Escrito por Fevereiro 01 2015 0

Em mais um show memorável – isso vem tornando-se rotina no SESC Belenzinho – um astral legal, pessoas com ares dispares, olhares sunshines e olfato rock'n'roll – a banda do Super Zé Brasil, aliás, as metamorfoses criativas do band líder do Apokalypsis, mas parecem às peripécias das antíteses de Gregor Samsa no mundo kafkaniano, ou arnaldiano?

Publicado em Shows Escrito por Dezembro 27 2014 0

Parodiando o mestre Arnaldo, eles mesmos são fãs, o paradoxo do nome merece ser analisado com carinho por está banda alagoana e de muitíssimas honrarias, seja por estilos de rock – psicodélico inglês dos anos sessenta, progressivo e folk – como também por legitimidade absoluta de linguagem, fonética e sonoridade, características que poucas bandas hoje em dia conseguem solidificar no mercado, insípido, fonográfico brasileiro.

Publicado em Shows Escrito por Dezembro 24 2014 0

Num sábado despretensioso próximo de natal, este sempre com clichês mercadológicos e monótonos, eis que uma bela surpresa nos arrefece com uma bela revisitada e pesquisa musical – o Projeto 74 Rotações – SESC Santana, nesse em particular o rarefeito 'Loki' do Arnaldo Baptista, na íntegra e, quase beirando o original.

Publicado em Shows Escrito por Julho 11 2014 0

O Dia Mundial do Rock é comemorado todo 13 de julho. Para comemorar essa data simbólica, o Bolshoi Pub promove amanhã (12) show com um genuíno representante do gênero musical que arrebata multidões em todo o mundo. O palco da tradicional casa noturna vai receber o cantor e compositor baiano Marcelo Nova para apresentar seu amplo repertório, que passa pela sua profícua carreira solo, músicas do Camisa de Vênus e sua histórica parceria com Raul Seixas.

Publicado em Shows Escrito por Março 07 2014 0

Nas terras maringaenses, o domingão (9) será de rock e sertanejo. O destaque da noite é o show do Dr. Sin, banda de São Paulo que é reconhecida como um dos grandes nomes do hard rock brazuca.

Veja abaixo o serviço das apresentações:

DOMINGO
***

Junior & Santa Fé
Mesclando hits universitários com modões de viola, dupla se apresenta no Butiquim e divide a noite com Elisson & Anderson. Domingo, às 19h. Onde: Praça Manoel Ribas, 255. Tel: 3224-7115.

Dr. Sin
Trio volta a se apresentar no MPB Bar. Formado por Andria Busic (baixo e vocal), Ivan Busic (bateria e vocal) e Eduardo Ardanuy (guitarra), o Dr. Sin é um dos grandes nomes do hard rock nacional. Domingo, às 18h30. Onde: Av. Curitiba, 210. Tel: 3028-4239.
Informe-se sobre o show

Fonte: Aqui

Publicado em Shows Escrito por Abril 15 2016 0

Walter Franco atende o telefone com a voz trêmula. Recém-operado de um procedimento médico vascular nas carótidas, na região do pescoço, canta bem baixinho sua música favorita dos Titãs. "O acaso vai me proteger. Enquanto eu andar distraído", recita após um longo e interminável suspiro. "Quero tocar essa. Ela se chama Epitáfio, não é? Que letra belíssima. Tomara que fique legal ao vivo", complementa. Aos 71 anos, um dos ícones da chamada MPB maldita dividirá o palco com, segundo ele, "a melhor banda do rock brasileiro de todos os tempos", os Titãs. Serão, ao todo, quatro shows em São Paulo. Todos realizados de quinta-feira (14/4) a domingo, (17/4), no Sesc Pompeia. Os ingressos estão esgotados.


A influência de Walter Franco na sonoridade dos Titãs não é novidade. Paulo Miklos, Sérgio Britto, Branco Mello e Tony Bellotto sempre falaram abertamente da força poética do chamado gênio injustiçado da MPB. Em Nheengatu, mais recente álbum de estúdio da banda, eles gravaram Canalha, um dos clássicos de Walter. "Ouvi a versão dos Titãs. Para mim, é uma honra ter algo regravado por eles. Cheguei a confundir a voz do Branco Mello com a minha. Ficou perfeito. Um timbre potente, diria. Quero encontrá-lo pessoalmente para dizer isso", afirma Walter.

Debilitado, Walter Franco tropeça algumas vezes nas próprias palavras. Mantém, no entanto, a essência soturna e até psicodélica que marcou sua extensa trajetória.

De forma calma e precisa, vai externando as palavras de maneira poética. Se tudo é uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo, como diz a letra de Coração Tranquilo, o cantor e compositor paulistano faz isso com maestria. Walter Franco prefere, então, enaltecer os Titãs e deixar sua participação em segundo plano.

"Lembre-se que eles (os Titãs) serão os protagonistas, não eu. Farei apenas uma pontinha. Pretendemos tocar quatro ou cinco músicas. O convite foi feito em cima da hora. Gostaria de preparar algo mais amplo, mas minha saúde atual, infelizmente, não permite. Devido a essa cirurgia, não vou poder tocar nenhum instrumento. Trata-se de um quadro clínico delicado. Ainda não consigo fazer alguns movimentos simples, isso inclui dedilhar acordes no violão. Fiquei ansioso. Quando soube do projeto, tentei tocar, mas não consegui. Por isso, nesses shows, terei a ajuda do meu amigo e guitarrista Raul Duarte, que toca comigo há 35 anos. Não vou poder me alongar muito", lamenta.

O repertório das apresentações deve incluir ainda Me Deixe Mudo e Feito Gente, canções cortejadas pelo quarteto desde muito cedo, quando ainda projetava o futuro. "O Walter tem um repertório vasto. Fica difícil escolher as músicas para o set. Canalha, por exemplo, foi um hit dos anos 1970. Ali tínhamos um grito preso na garganta. Na década de 1980, vivíamos um período de redemocratização. Ele ajudou a formar o rock de São Paulo, fazendo a ponte com a música popular brasileira", diz o guitarrista dos Titãs, Tony Bellotto.

"Pela carga de trabalho e excelência da produção do Walter Franco, ele, com certeza, deveria ser mais conhecido, principalmente nos dias atuais. É complicado avaliar por que isso aconteceu, sabe? O Walter é um cara tranquilo, sereno e da paz. Um verdadeiro mestre com uma obra esplêndida para ser desvendada", conclui Tony.

Fonte: Estadão

Custom Adv 2
camisa.jpg